Ir para conteúdo

Palmeiras na Gringa #3: Lisboa, o consulado alviverde em expansão

Depois de se divertir na Austrália com os Palmeirenses in Sydney (PIS), o Olê Palmeiras retorna à Europa e desembarca em Portugal para contar a história do Palmeiras Lisboa. Fundado há pouco mais de dois anos, a comunidade palestrina na terra do bigode grosso está em fase de crescimento e reestruturação. E como parte dessa reestruturação está a composição de uma nova diretoria, a criação de um novo logotipo e a escolha de um novo Quartel General (QG).

Antes composto por apenas 10 torcedores, que revezavam os encontros entre as próprias casas e os restaurantes Storik, na Rua do Alecrim, e Chiado Terrasse, na Rua Trindade, hoje o Palmeiras Lisboa já conta com cerca de 60 integrantes e fixou as suas reuniões no Zap Tuga Bar e Restaurante. O estabelecimento, situado na Rua Dr. Antonio José de Almeida, 10A, pertence a uma família de palmeirenses, que abriu as portas e os braços para o grupo.

portugal01.jpg

A adoção de uma sede única se fez necessária, principalmente, para que os alviverdes não voltem a ter problemas com a polícia lusitana, como tiveram em 2016, devido à festa do título do Campeonato Brasileiro.

“Na ocasião, nos reunimos na casa de um dos torcedores para fazermos um churrasco e assistir a partida contra a Chapecoense. Quando o jogo acabou iniciamos as  comemorações e isso incomodou os vizinhos. Lá pelas 19 horas, a polícia foi chamada para colocar fim da nossa festa. Mas não quisemos nem saber. Explicamos que não eram nem 22 horas e, portanto, podíamos aproveitar a vontade. Como estávamos com a razão, os policiais foram embora e seguimos comemorando”, explica o cônsul do Palmeiras em Lisboa, Netto Baptistella.

Baptistella, aliás, é um dos fundadores da comunidade alviverde na capital portuguesa. Em 2015, já morando por lá, mas cheio de saudades de curtir uma partida junto da Família Palmeiras, ele criou a Fanpage do grupo no Facebook com o objetivo de encontrar outros palestrinos no País. Rapidamente Daniel Queiroz Reis, responsável pela Fanpage Palmeirenses em Portugal, se manifestou.

Juntos, eles decidiram fazer a fusão das duas páginas virtuais e começaram a se encontrar para assistir aos compromissos do Campeonato Paulista de 2016, ao lado de outras oito pessoas. Esse número foi crescendo gradativamente a cada triunfo do Palmeiras no Campeonato Brasileiro, até a conquista do eneacampeonato nacional.

UM PORTUGUÊS PALMEIRENSE

A tentativa dos portugueses de colocar fim na celebração do título em 2016 não foi um episódio isolado. Segundo Baptistella, quando o assunto é festejos futebolísticos, os lisboetas logo torcem o nariz para todo e qualquer grupo de torcedores brasileiros. Justamente por isso, a comunidade palmeirense optou por não celebrar a conquista na Praça Marquês de Pombal, principal ponto de manifestações em Lisboa. Lisboa

“Ali é o local de comemorações de futebol na Cidade. Mas por sermos brasileiros e sofrermos com um preconceito regular da parte deles (lusitanos) resolvemos comemorar na casa em que assistimos ao jogo. Os portugueses acham que nós, brasileiros em geral, bebemos demais e somos baderneiros. Então, para curtir bastante é melhor evitar lugares públicos para essas celebrações”, acrescenta o cônsul.

No entanto, nem todos pensam da mesma forma. Os seguidos encontros alviverdes na Cidade já serviram para transformar o fanático benfiquista Luis Brito, de 20 anos, em um verdadeiro palmeirense.

“Ele é um amigo que fiz aqui em Portugal, e durante a campanha do Campeonato Brasileiro de 2016 lhe dei uma camisa do Palmeiras de presente. Na partida diante da Chape, ele estava com ela e comemorou com a gente feliz da vida. Mas o Luis é só um exemplo. Temos alguns outros portugueses que tornaram-se simpatizantes do Clube por influência do Palmeiras Lisboa”, revela Baptistella.

NOVAS IDEIAS

Para obter o crescimento desejado na capital portuguesa, o Palmeiras Lisboa formou a sua nova diretoria. E dentre os novos membros estão Leonardo de Gouveia Ferreto, que por um ano e oito meses (de janeiro de 2015 a setembro de 2016) fez parte do Palmeiras Dublin, na Irlanda, e de Pedro Oliveira, que pertencia à Torcida Uniformizada do Palmeiras (TUP) em Itapira, interior de São Paulo, e desde setembro de 2016 integra o grupo em Portugal.

PORTUGAL02

“Trouxemos algumas ideias ao compor a diretoria do Palmeiras Lisboa, como, por exemplo, alterar as nossas artes. Além disso, já encontramos um local fixo para ver aos jogos. Esse novo espaço nos oferece estrutura com televisor de 60 polegadas e retroprojetor. Agora, seguimos no aguardo da aprovação da nova arte por parte da diretoria do Clube. Assim que isso ocorrer iremos focar na divulgação da nossa página no Facebook, com o intuito de reunir o máximo de palmeirenses por jogo no Zap Tuga”, conta Ferreto.

“E isso, na minha opinião, é muito importante para criarmos um forte laço de amizade por meio da Sociedade Esportiva Palmeiras. E digo isso, porque o Palmeiras Dublin me trouxe grandes amigos pessoais como Renato Sales, Patricia Medeiros e o Diego Bianchi”, conclui o novo membro da diretoria.

O Palmeiras Lisboa está aberto para todos os palmeirenses que moram em Portugal e que estejam apenas turistando pelo País. Aqueles que quiserem tornar-se integrante da comunidade precisam apenas visitar o Zap Tuga ou entrar em contato com os diretores por meio do Fan Page Palmeiras Lisboa, no Facebook.

LEIA MAIS

>> Palmeiras na Gringa #2: Sydney, o lar palmeirense na Oceania 
>> Sem medo do Palmeiras, Boca é favorito ao título, dizem argentinos
>> Palmeiras na Gringa #1: Dublin, a capital mais alviverde da Europa
>> Campeão em 99, Alex dá a receita para o Bi na Libertadores

>> Curta a nossa página no Facebook: OlePalmeiras
>> Siga o nosso perfil no Twitter: @ole_palmeiras
>> Acompanhe a nossa conta no Instagram: Olepalmeiras 

Olê Palmeiras Ver tudo

O blog alviverde que canta e vibra

5 comentários em “Palmeiras na Gringa #3: Lisboa, o consulado alviverde em expansão Deixe um comentário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: